Gestão Participativa para a Redução da Desflorestação e Degradação Florestal no Parque de Obô

São Tomé e Príncipe

Logo_OBO-CARBONO.jpg

PARCEIROS

A Direção das Florestas (DF) é a instituição responsável pela monitorização das florestas em São Tomé e Príncipe. Para cumprir o seu papel nas atividades de inventário florestal e de monitorização, os técnicos da DF receberão formação em SIG e métodos de cálculo das taxas de desflorestação. A DF contém a Unidade de Gestão das Áreas Protegidas (PNOST), que é a entidade responsável pela implementação de medidas de conservação na área protegida.
A ADAPPA, Acção para o Desenvolvimento Agro-pecuário e Proteção do Ambiente, é uma ONG com experiência junto das comunidades de São Tomé, nomeadamente em projetos agrícolas e agroflorestais. Esteve envolvida em vários projetos de grande dimensão com financiamento de organizações internacionais. A ADAPPA é responsável por conduzir todas as atividades que envolvam a participação das comunidades locais nas atividades do projeto. Receberá também formação na monitorização de carbono com base comunitária.
A RSeT, Associação Técnico-Científica para o Desenvolvimento, é uma ONGD criada em 2011, que tem como principal objetivo promover o combate aos efeitos das alterações climáticas em regiões tropicais. A sua área de atuação é nos países africanos de língua portuguesa onde procura preencher lacunas na resposta aos requisitos da política internacional do clima. A RSeT fornece também capacitação técnica e tecnológica no sector do uso do solo e alterações, e particularmente nos setores Agrícola e Florestal.
A WayCarbon é uma PME brasileira com especialização na submissão e validação de projetos de carbono. Todas as atividades relacionadas com a garantia de conformidade dos resultados e relatórios serão da sua responsabilidade. Apoiarão também na seleção dos melhores protocolos de análise de dados e será a WayCarbon a responsável por produz o documento técnico final (Project Document) a ser posteriormente submetido para validação da VCS. ”

O Instituto Superior de Agronomia (ISA) da Universidade de Lisboa é a maior e mais qualificada escola de graduação e pós-graduação em Ciências Agrárias em Portugal, com reconhecimento nacional e internacional. Com mais de 160 anos de experiência, adapta o seu ensino à evolução tecnológica e aposta na qualidade e modernização do mesmo. 

O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Europeia, da Gestão Ambiental Global, do Governo do Japão, da Fundação MacArthur e do Banco Mundial. Uma meta fundamental é garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade.